sábado, 31 de janeiro de 2009

O regresso do homem das cavernas

Definitivamente a calmaria de início de ano passou e eu voltei ao meu humor volátil de sempre. Nada de TPM, eu sou simplesmente temperamental. E é nesses momentos que eu passo a questionar as mais diversas coisas.

Por exemplo: desde quando tornou-se símbolo de virilidade um homem dizer qualquer abobrinha que lhe vier à cabeça para qualquer mulher que estiver passando a sua frente? Não é possível que o sujeito realmente acredite que alguma coisa vai acontecer a partir de um reles “ei, gatinha!”.

Pra mim é uma ofensa. Tenho cara de quem tem tão pouca auto-estima a ponto de se deslumbrar com o papo furado de um desocupado? Se a intenção é conhecer novas pessoas e relacionar-se a minha sugestão é que o indivíduo vá estudar! Leia, informe-se e tenha educação para iniciar uma boa conversa, agradável e com assuntos interessantes. Que a abordagem inicial seja um “Você tem horas?”, pelo menos demonstra uma pessoa com alguma perspectiva de futuro.

Gostaria de dizer que isso é fruto da imaturidade, coisa de moleque. Mas a quantidade de senhores que se rebaixam a tal hábito também é imensa. Com certeza são pessoas que passaram à toa pela vida, sem adquirir nenhuma sabedoria junto com os cabelos brancos. É lamentável que isso inicie um ciclo passado de geração para geração, com adultos sem a mínima noção de respeito formando jovens sem a mínima noção de nada.

Devia existir uma lei contra os maus modos. Qualquer mulher deve ser livre para andar aonde quiser, com as vestimentas que quiser, sem ter que ouvir comentários e cantadas incômodas. Mas como aqui no Brasil isso já virou parte da cultura popular, a reação é a única solução.

Faça por merecer!

Quem já experimentou responder para algum desses engraçadinhos sabe que é um tiro certeiro. Nem precisa apelar para o palavreado de baixo calão, um simples “se enxerga” ou “pena que eu não posso dizer o mesmo” já é o suficiente para destruir o frágil ego dessas criaturas inconvenientes. Melhor ainda se eles estiverem em grupo, os próprios amigos se encarregam de finalizar o serviço pra você.

Eu sei que esse é o século XXI e as sociedades tendem a evoluir, mas certos costumes nunca deviam cair em desuso, como o cavalheirismo e a gentileza. E neste quesito os homens certamente regrediram.

Fisgar pelo estômago também nunca sai de moda

12 comentários:

ViNícULa disse...

aham
tem um selo lá
mas

isso não indica que eu goste

indica apenas que eu repasso o que ganho

hehehehehhehehe
mas claro

é um fato engraçado que não deve ser levado muito em conta


hehehehe

voltarei

Coisinhas da Jeh _ disse...

Ou então inicie uma conversando falando sobre o tempo 'nossa, tá calor hj ein' UIAOSUAISOAUSIAOSUAIO. Melhor que 'oi gatinha, posso te conhece' :@ hahaha

Isabelle.C. disse...

concordo plenamente contigo.
quando ando na rua, ando uma certa cara de "poucos amigos" quando preciso passar perto de homens. É verdade; não os estou julgando pela roupa, sei lá, mas é pelo o costume, a mesmice de sempre. Se der uma brecha, pronto, pensam que você sabe miar.
Muito chato.

Ainda vou chegar em casa e meu namorado vai ter feito um jantar pra mim! ele não vai ler o que eu disse pra ti agora; então se ele fizer, não vai ser culpa minha! huahu

beiiijo alineeeeee!

Leandro disse...

Isso é deveras complicado. Muitos são os fatores que levam os "homens" (com h minusculo) a fazerem isso, alguns deles são:

1 Falta de educação (simples e pura)
2 Falta de respeito pela pessoa
3 Carência (acredite, acontece muito) e querer chamar a atenção (principalmente dos amigos)
4 "Instinto de macho" e tentar mostrar que é o ser "dominante" (esses provavelmente são aqueles que tem uma esposa em casa que é uma verdadeira víbora)

... entre outros.

Eu sou da opinião de que se a pessoa não tem nada de útil pra falar, então é melhor ficar quieta.

Pra finalizar, ainda acho que o "gatinha" saiu barato, pq eu jah ouvi na rua coisas que eu fiquei com vergonha. Enquanto isso, da-le bolsa família...

Thaís A :) disse...

Sem dúvidas, você está certíssima.
Parece que esses cara não se tocam dando cantadas horríveis e sem criatividade alguma para todas que passam, dá muita raiva ¬¬

Gostei do post, beijão :*

Thayná disse...

Concordo plenamente!
Se fosse lei ter bons modos...ah seria ótimo!
Adorei a foto da Dama e o Vagabundo!
Beijo

A n i n h a a disse...

Acho que educação, respeito e gentileza entraram em extinção e estão ficando cada dia mais raras.
Eu fico pensando, existe alguma mulher imbecil a ponto de dar bola pra uma cantadinha de baixo nível?

Porque se tem, deveria ser ba-ni-da da sociedade feminina. Mulheres tem que se dar o valor e não se derreter com o mínimo "elogio" barato que recebem, como gatinhos carentes.
Pelo amor, ninguém merece.

Falou tuudo lindona
beijão

Conde Vlad Drakuléa disse...

Educação respeito e gentileza realmente andam extintos na era moderna, como bem afirmou a querida Aninha...Em alguns lugares até mulheres chegam a se comportar assim como esses homens, assobiando e falando gracinhas quando passa um homem bonito, charmoso e inteligente como eu por exemplo e.... ops... he,he,he, brincadeira ;), nem tanto, me empolguei, huheheuhehe... Mas o romantismo e o cavalheirismo realmente precisam de um redescobrimento mesmo... Gostei muito da imagem que colocas-te no topo do blog, a Paulista à noite e a mulher, voando como se fosse um espírito desencarnado ou refletida, como se estivesse em frente à uma janela... Em relação aos homens que tem esse tipo de comportamento, eu acho que ignorá-los, no caso de não ter na ocasião nenhuma resposta sarcástica e legal talvez seja a melhor solução... E para aqueles nojentos que começam a seguir e importunar mesmo, uns bons golpes de "Krav Magá" aquele estilo de luta hebreu o fariam se portar com mais polidez... Ou o velho e eficiente spray de pimenta, heuheheuhe... Fiquei fã e ganhas-te um novo leitor :)

Beijos do conde, au revoir!

Naty Abacaty! disse...

Cantada eu só surte efeito em mim se for do meu namorado, aí sím eu tenho um bela duma reação. Agora qualquer um que passar na rua, não merece nem meu "idiota!", rs.
Falou tudo Aline, e a Dama e o Vagabundo ficou ótimo.

Um beijo.

Kenia disse...

isso me mata de odio, se eu tivesse que matar alguem seria um desses, eu odeio ao extremo esses homens, se eu tivesse que ter um romence com um desses eu preferia ficar com uma mulher!

Júlia disse...

Eu me sinto estuprada quando isso acontece. Odeio. Porque, para mim, não parece que o cara quer fazer um elogio e, sim, mostrar o quanto ele pode te assediar. O engraçado é que se vc encara o dito-cujo, ele fica sem graça. Odeioooooo.

www.sualista.com.br disse...

www.sualista.com.br