quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Bambis SIM





"Já que ninguém fala, direi eu.
Está na hora de nós, são-paulinos de fina estirpe, tricolores de quatro costados, assumirmo-nos: somos bambis, sim senhor! Por que não?

Depois de muito ruminar o assunto, agora, pondo em perspectiva, creio que o Vampeta prestou um grande serviço quando nos colocou o apelido. Jocoso, pra dizer o mínimo.

Vamos falar claramente. Funciona assim: chamo alguém de bambi querendo associá-lo à homossexualidade, de forma a diminuí-lo ou desvalorizá-lo, como se isso diminuísse ou desvalorizasse quem quer que seja. E nós, tricolores, temos nos sentido ofendidos, sem lembrarmo-nos de que a ofensa só acontece quando o ofendido se dá por ofendido.

Pleno 2008, quase 2009, século 21! Se futebol é coisa de macho, amigo, é também de mulheres e homossexuais, e de qualquer outra classificação em que se encaixe quem ama esse esporte.

Tricolores hetero e homossexuais, são-paulinos civilizados, hexacampeões que querem ver cada vez mais distantes a barbárie e a selvageria que assolam este mundão de meu Deus, vamos assumir em coro: somos bambis, sim, senhor! Somos bambis!

Vamos fazer como fez no passado o Palmeiras, que adotou o porco, e hoje faz lindas festas no chiqueiro. Ou o Flamengo, que assumiu o urubu, e atualmente tem torcida organizada que leva seu nome.

Sugiro à torcida que teça uma enorme bandeira com um bambi muito másculo sentado à mesa, devorando os restos de um porco e de um gavião! Que ela invente cânticos divertidos sobre isso.

Proponho à diretoria que encampe essa idéia, e siga indicando que somos um time moderno, um espaço para o qual convirjam pessoas de toda sorte, independentemente de suas preferências sexuais. Vai fazer um bem danado para a imagem e para os cofres do clube. Inclusão é palavra que deve nos orgulhar, não nos envergonhar.

A Terra será um planeta muito mais habitável à medida que aprendamos a soletrar a palavra igualdade. Nós, tricolores, devemos dar o exemplo. Que ele seja dotado de bom-humor.

Em coro, nos estádios país afora, ou onde quer que estejamos, gritaremos: bambis, bambis sim senhor!"


*Texto de Fernando Gallo, são-paulino fanático, jornalista dos bons, heterossexual, trabalha na CBN e seu último desejo é ser empalhado em sua cadeira cativa no Morumbi, em posição de comemoração de gol.

8 comentários:

Mustafa Şenalp disse...

çok güzel site.:)

Aline disse...

Ah claro, amigo!Obrigada pelo recado.

Tyler Bazz disse...

çok güzel site significa "bambizada assumindo" em turco

:D

Raquel disse...

Valeu pelo comentário lá no blog!

Te adicionei aos blogs favoritos!

Coisinhas da Jeh _ disse...

ah tá, você imprimiu no seu trabalho. UIAOJSOAKSOAJSOAJSOAJSOA ;P
trabalha com que ?

Erick Júlian de Medeiros Feitoza disse...

haha
ASDHUASDHUAS BAMBIS SIM...

vou continuarr a musica do seu blogger.


tanta coisa em comum...
deixando escapar segredos

Dalleck disse...

Eu li esse texto no blog do Juca Kfouri... hauahauha, cada vez mais os bambis se assumindo xP

Leandro disse...

Futebol e religião são coisas dificeis de discutir... de qualquer maneira a idéia não deixa de ser interessante.